FIES

O Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) é um dos programas do governo federal que viabiliza o ingresso de brasileiros no ensino superior privado. Instituído pela Lei nº 10.260, desde 2001, o programa é utilizado anualmente por milhares de pessoas que querem cursar uma graduação, mas não têm condições de pagá-la durante o curso.

Com o financiamento estudantil, o estudante beneficiário não precisa se preocupar em pagar as prestações enquanto estiver no período da faculdade. O governo realiza esse pagamento diretamente a instituição de ensino, enquanto o formando só precisa devolver ao finalizar os estudos.

O FIES já passou por algumas reformulações ao longo dos anos e, atualmente atua com o formato chamado de “Novo Fies”. O processo seletivo inclui entre outros critérios a utilização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e, a depender da modalidade, há cobrança de juros.

mulher formanda pelo Fies.
O Fies é um dos programas do governo federal para ter acesso ao ensino superior.

Se você está de olho nas oportunidades ofertadas pelo Fies e quer trilhar o caminho universitário utilizando esse benefício, continue lendo. Neste artigo, preparamos um material para você ficar por dentro do que é preciso para dar o ‘start’ e conseguir o diploma superior com o financiamento público.

Bolsas de estudo x financiamento estudantil

Já falamos por aqui sobre como conseguir bolsa de estudo para graduação. São várias as formas de pleitear o subsídio, mas, se ainda assim não for possível entrar na universidade com esse auxílio, existem outras formas, e uma delas é com o Fies.

O sistema do Fies funciona de modo diferente das bolsas de estudo, uma vez que, com as bolsas de estudo os descontos já são aplicados nas mensalidades durante o curso, ou seja, o estudante que conseguir uma bolsa parcial, paga os boletos referente ao valor do curso a cada mês, já com o abatimento que conquistou. Ao concluir a graduação, estando adimplente com a instituição, não tem dívida estudantil.

Já o Fies é um financiamento, isso quer dizer que, ao usufruir desse benefício, durante os estudos, o contemplado não paga mensalidades à instituição, mas, ao concluir a graduação, o investimento deve ser devolvido ao governo que custeou todo o tempo de estudos.

Afinal, como funciona o Fies?

Com o Novo Fies, as condições de financiamento mudaram, confira abaixo como funciona:

• Fase de utilização do Fies: enquanto estiver cursando, o estudante não paga as mensalidades, apenas o encargo operacional, previamente fixado no contrato de financiamento, diretamente ao agente financeiro, como também o seguro de vida, cuja escolha da seguradora fica a cargo do estudante, portanto que seja uma das habilitadas pelo programa.

• Fase de carência e amortização: o período da fase de carência foi extinto, com isso, assim que terminar a graduação, já é dada a fase de amortização, como é chamado o ciclo de pagamento. Desde que possua renda, a dívida estudantil deve começar a ser quitada no mês seguinte ao terminar a faculdade.

Em caso de não ter uma fonte de renda assim que sair da instituição superior, o financiamento deverá ser pago em prestações mensais respeitando o pagamento mínimo, na forma prevista no regulamento do Comitê Gestor do Fies (CG-Fies).

A estimativa do Ministério da Educação é que o financiamento seja concluído em um período máximo de 14 anos, levando sempre em consideração a capacidade de pagamento do profissional já formado.

Modalidades do Fies

Com o Novo Fies, o programa foi dividido e conta com novas modalidades, uma do governo e outra dos agentes financeiros. Entenda:

  • Novo Fies: esse financiamento é ofertado diretamente do governo ao estudante e, por isso, é de baixo custo, não contando com a presença de juros em cima do valor da mensalidade real do curso. Essa é a modalidade I a juro zero do Fies, voltada para participantes que tenham uma renda familiar mensal de até três salários mínimos.
  • P-Fies: o Programa de Financiamento Estudantil (P-Fies) é ofertado pelas instituições financeiras (bancos), mas com recursos públicos, por isso, os juros cobrados (que variam conforme o banco) são mais em conta do que outros financiamentos estudantis presentes no mercado. Essa é a modalidade II e III, destinada a estudantes que tenham renda de até cinco salários mínimos mensais.

Critérios para concorrer a uma vaga pelo Fies

Desde que se tornou um processo seletivo, as regras para concorrer ao Fies receberam algumas alterações. O Enem foi uma das novidades, o programa passou a exigir um aproveitamento mínimo de 450 pontos na soma das provas objetivas e maior que zero na redação para poder participar. Vale qualquer edição do exame a partir de 2010.

Além disso, o curso da instituição de interesse deve ter uma avaliação positiva na classificação do MEC e, a renda per capita mensal do grupo familiar deve ser de até três salários mínimos para tentar uma vaga pela modalidade Fies e até cinco salários mínimos para o P-Fies.

Bolsistas parciais do Programa Universidade para Todos (Prouni) também podem participar do Fies para pagar a parte não coberta pela bolsa de estudo, desde que atenda os critérios do programa de financiamento.

Como se inscrever no Fies

As inscrições no Novo Fies acontecem duas vezes ao ano, próximo ao início do semestre letivo. Para se inscrever é preciso ficar atento ao calendário estabelecido e divulgado pelo MEC para não perder os prazos. A inscrição acontece em etapas que é iniciada pelo candidato e também envolve a Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA) e o banco. Confira o passo a passo abaixo:

grupo de estudantes cursando faculdade com o Fies.
Financiamento possui duas modalidades e atua de forma diferente das bolsas de estudo.

1- Acesse o site do FiesSeleção e informe os dados pessoais solicitados. Aguarde o recebimento do e-mail para validar o cadastro;
2- Após a confirmação da pré-seleção, retorne ao site para realizar a inscrição em até cinco dias úteis e informe os dados relacionados ao financiamento a ser contratado;
3- Em até dez dias úteis após a inscrição, compareça a CPSA da instituição de ensino de escolha para validar as informações que foram prestadas;
4- Com as informações validadas, em um período de dez dias, contados a partir do terceiro dia útil da validação pela CPSA, é necessário comparecer ao banco para finalizar a contratação do financiamento.

Renovação semestral do Fies

Todos os beneficiários do financiamento devem fazer o aditamento do Fies, que é a renovação para dar continuidade ao benefício. O procedimento precisa ser realizado semestralmente e é dividido em simplificado e não simplificado. O primeiro caso ocorre quando não precisa ser feita nenhuma alteração no contrato; já a segunda funciona para quando é necessário realizar alguma mudança como a de fiador, por exemplo.

Agora que você já sabe como funciona o Fies, acompanhe no site do MEC o calendário de inscrições. Boa sorte e bons estudos!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *